Observações sobre Stopping Power

Avatar do usuário
raubvogel
Mensagens: 420
Registrado em: 22 Abr 2016, 15:16

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por raubvogel »

Erick Tamberg escreveu:Raramente esse fenômeno é instantâneo. É proporcional ao calibre e local atingido e inversamente proporcional ao porte físico da vítma.
Eu adicionaria que o lugar antingido é uma das coisas mais importantes. Como se diria em imóveis, localização, localização, localização.

.22 Já foi usado para matar urso, mas eu não recomendaria: https://www.ammoland.com/2014/11/what-2 ... y-in-1953/

E 9mm também: https://www.americanhunter.org/articles ... mm-pistol/

Avatar do usuário
Leo_FuzNav
Mensagens: 193
Registrado em: 02 Mar 2016, 11:12

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Leo_FuzNav »

Em relação ao vídeo, acredito que isso já foi vastamente discutido no forum. Munições com maior energia causam maiores cavidades temporárias e/ou permanentes, aumentando a probabilidade de romper tecidos importantes ou arterias.
Acertar um ponto específico, como é o caso da cervical ou a base do cérebro é a "melhor hípotese" para um defensor, porém deve-se trabalhar em cima da pior hipótese.
Eu confio no meu 22, desde que a 45 esteja por perto.

Chaves
Mensagens: 3
Registrado em: 28 Mar 2019, 17:04

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Chaves »

Existem muitas evidências contrárias a doutrina do poder de parada. Segue um artigo interessante que corrobora o discutido no vídeo do só canal sobrevencialismo.

https://www.buckeyefirearms.org/alterna ... ping-power

Erick Tamberg
Mensagens: 655
Registrado em: 09 Jun 2016, 13:50

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Erick Tamberg »

Leo_FuzNav escreveu:Em relação ao vídeo, acredito que isso já foi vastamente discutido no forum. Munições com maior energia causam maiores cavidades temporárias e/ou permanentes, aumentando a probabilidade de romper tecidos importantes ou arterias.
Acertar um ponto específico, como é o caso da cervical ou a base do cérebro é a "melhor hípotese" para um defensor, porém deve-se trabalhar em cima da pior hipótese.
Hatcher, lá nos anos 30, não conseguiu achar correlação direta entre energia cinética e poder de parada, especialmente porque o calibre de maior energia que ele testou era o de menor diâmetro (7,65mm Parabellum). Concluiu que o momento apresentava maior correlação, sendo um parâmetro mais adequado.

De qualquer forma, nenhum calibre de arma curta gera energia (ou momento) suficiente para garantir o resultado com um só impacto.

Lucas Trum
Mensagens: 4
Registrado em: 23 Mar 2019, 12:27

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Lucas Trum »

Alguém já ouviu falar em munição explosiva?

Achei um artigo no Wikipedia (desculpem a fonte ruim) que explica até como era feita.

No século XX usavam glicerina ou mercúrio dentro do projétil, quando ele se chocava com algum objeto devido a grande pressão e o liquido nao ter para onde ir, o projétil explodia...

Creio que nao se fale, produza ou teste muito esse tipo de coisa por ser proibido pela convenção de genebra, mas gostaria de saber se de fato funciona...

Eu só testei atirando na argila, e consegui perceber que de fato explode, inclusive ficou fragmentos de chumbo na argila, e o estrago foi muito maior do que atirar com ogival

A ideia era que com apenas um tiro se imobilizasse o inimigo, independente do calibre da arma, achei que tinha tudo a ver com o assunto

moliternoga
Mensagens: 807
Registrado em: 24 Out 2015, 21:14

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por moliternoga »

Acredito que tenha o mesmo efeito de uma munição de fragmentação. Existem munições militares que contém carga explosiva no interior do projétil, mais comum em munições .50bmg e canhões. Os americanos usam uma munição .50bmg cbamada de Raufoss mk211 que contém alto explosivo no interior do projétil que detona com impacto. Utilizar mercúrio ou glicerina vai ajudar apenas a forçar a fragmentação do projétil e não explodir.

Erick Tamberg
Mensagens: 655
Registrado em: 09 Jun 2016, 13:50

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Erick Tamberg »

Houve experimentos nesse sentido. Se funcionassem, os fabricantes adotariam.

Nos EUA, existe a munição Exploder, que nada mais é do que um projétil de ponta oca comum preenchido com pólvora de queima rápida e tampado por uma espoleta. O comprador precisa ter o mesmo tipo de licença exigido para adquirir dinamite.

Há munições explosivas para uso militar, porém, as leis de guerra limitam seu emprego a antimaterial.

A tal Convenção não é a de Genebra, mas sim a de Haia, de 1899. Diga-se que o teor desse artigo esconde um componente racista.

Essa norma baniu as munições expansivas para uso em guerras. As munições expansivas foram desenvolvidas na Índia, quando ainda colônia britânica, na cidade de Dum-Dum (daí o nome), na fronteira com o atual Bangladesh.

À luz do Direito Internacional da época, só era considerado guerra um conflito entre duas nações soberanas. Noutras palavras, a munição expansiva não poderia ser empregara em um conflito entre países civilizados, mas poderia ser usada por uma potência colonial contra movimentos de independência. Um britânico ou francês não poderia atirar num alemão com munição expansiva, mas num sudanês ou argelino poderia...

Lopes
Mensagens: 23
Registrado em: 21 Jun 2017, 11:21

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Lopes »

As discussões estão paradas já a um bom tempo, mas gostaria de dar um pitaco.
Resumindo o que foi dito, mais vale um tiro bem dado, do que o calibre. Bem como a disponibilidade de ter sequencia de tiros, vai ajuda em muito.
Conheço um caso emblemático : um tenente do EB, "lixou" o mecanismo de uma colt 1911 ( lá por 1970 ) e ao fazer um disparo de mera sinalização, com a arma solta na mão, ela automatizou, e girou na mão. Ao 3º disparo, atingiu o peito.
Não atingiu osso e nem órgão vital ( nasceu de novo ), mas o impacto da .45, praticamente a queima roupa, quebrou duas costelas junto ao esterno e 3 junto a coluna.
O peso do projetil acho leigamente que influencia bastante e minha pergunta é, em relação ao .380 ( tenho uma G25 ), se não é interessante alternar ogival com GOLD hex, considerando a mesclagem de maior penetração e maior dilaceração.
Gostaria de uma opinião abalizada deste forum fantástico.

moliternoga
Mensagens: 807
Registrado em: 24 Out 2015, 21:14

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por moliternoga »

Colega, caso opte por intervalar procure duas munições parecidas balisticamente (mesmo peso de projétil e mesma velocidade). Quando eu usava .380acp eu intercalava ogival +p 95 grains com EXPO +p 95 grains, assim a arma mantém o mesmo comportamento. Na minha opinião as gold são as piores munições em .380 pois deixam a desejar muito em penetração. Depois de estudar um pouco mais de balistica dos ferimentos optei em usar apenas as ogival +p pois assim teria a certeza que o projétil conseguiria penetrar o suficiente após passar uma barreira intermediária como vidro, portas, um braço, uma mão e etc.

Lopes
Mensagens: 23
Registrado em: 21 Jun 2017, 11:21

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Lopes »

Moliternoga, novamente contundente em sua análise.
Já não me agradava muito a GOLD - muito barata ( kkkk ), acho que ficarei com ETOG + P E EXPO + P
Muito obrigado

Paulo Martins
Mensagens: 72
Registrado em: 15 Jul 2019, 11:36
Localização: BH - MG / 4RM

Re: Observações sobre Stopping Power

Mensagem por Paulo Martins »

moliternoga escreveu:Colega, caso opte por intervalar procure duas munições parecidas balisticamente (mesmo peso de projétil e mesma velocidade). Quando eu usava .380acp eu intercalava ogival +p 95 grains com EXPO +p 95 grains, assim a arma mantém o mesmo comportamento. Na minha opinião as gold são as piores munições em .380 pois deixam a desejar muito em penetração. Depois de estudar um pouco mais de balistica dos ferimentos optei em usar apenas as ogival +p pois assim teria a certeza que o projétil conseguiria penetrar o suficiente após passar uma barreira intermediária como vidro, portas, um braço, uma mão e etc.

Prezado.

Boa colocação, sua dica vai ser acatada por mim sem sombra de dúvidas.
Muito obrigado.
Paulo Martins
IAT - 4RM / BH - MG

Responder