Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Miller Bond
Mensagens: 7
Registrado em: 16 Set 2019, 18:16

Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Miller Bond »

Estou escolhendo uma arma para eu portar em trilhas e cachoeiras, quero uma arma com boa precisão até uns 20metros, estou em dúvida entre a Tauros PT58 HC plus e a Imbel MD1 sem ADC.
Minha primeira opção é a imbel MD1, não gostei da folga que fica no gatilho quando está em ação simples a PT58.
Qual arma vc levaria para uma trilha no mato?
(Infelizmente não tenho dinheiro para uma Glock)

moliternoga
Mensagens: 807
Registrado em: 24 Out 2015, 21:14

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por moliternoga »

Se pretende usar em um coldre externo vai de imbel md1 ou até md2, a polegada a mais de cano não vai fazer muita diferença no conforto/peso e te trará benéficos na precisão e melhor desempenho do projétil. Opte pela imbel sem ADC por ser mais confiável. Única coisa que te indico é como a arma ficará mais exposta aos elementos terá que ter um cuidado a mais pra não aparecer ferrugem. Posteriormente poderá fazer um banho de cromo duro ou outro acabamento mais resistente que o original de fábrica.

Avatar do usuário
Rock Shooter
Mensagens: 259
Registrado em: 07 Out 2013, 09:01
Localização: São Paulo

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Rock Shooter »

Miller,
pode seguir as palavras do Moliternoga numa boa, concordo plenamente com as dicas dele.

A diferença entre a MD1 e a MD2 é que a MD2 possui o cano com 5 polegadas (precisão) e o retém do percussor (segurança).

Também não recomendo o ADC, comprei a minha com ADC e me arrependi, o funcionamento é mais psicológico, pois você (e os outros) vêem o cão rebatido e imaginam que tudo está mais seguro, porém quando o ADC dá algum defeito, a arma não funciona. A minha Imbel veio de fábrica com o ADC defeituoso, o armeiro deu um jeito, mas não confio, terei que tirar o ADC.

Para atividades outdoor, você deverá fazer em sua arma algum tipo de acabamento para evitar farrugem, o Moliternoga recomendou o cromo duro (que é excelente), mas existem outros acabamentos. Pesquise as vantagens e desvantagens de cada uma e os seus preços.
A nitretação (tenifer) também é excelente, mas permite a pintura epoxi, que reforça a proteção, e se arranhar, você faz outra pintura.

Particularmente, eu não faria um acabamento brilhante, mas sim algo preto fosco, aí é questão de gosto pessoal e função da arma.

Se já estivesse em produção, eu também recomendaria a TC-MD6 em .380", pois não precisaria fazer nenhum acabamento na armação por ser em polímero, só faria no ferrolho e nas peças internas.

Outra coisa importante, a umidade das trilhas (ou da cachoeira) poderá/irá entrar na munição e danificar a pólvora. Para evitar isso, lacre a munição com algum produto.
Tem pessoas que usam esmalte de unha, porém é mole e meio "emborrachado" e o mais recomendável é algo mais duro e "quebrável" como algum tipo de trava rosca de baixo torque (Loctite 221, TekBond 113). O trava rosca é uma cola do tipo Superbond, porém muito mais fraco e frágil. O trava rosca vai vedar a espoleta com o fundo do estojo e o embuchamento do projetil com o estojo, assim não entra ar com umidade, que danifica a pólvora.

Quando eu faço isso em minha munição, eu passo um pano seco pra remover o excesso do produto, que pode atrapalhar o "Headspace", impedindo o trancamento da arma.

Fazendo esse procedimento você não teria nenhuma preocupação com o funcionamento da munição. Além do que, a munição vedada quando é armazenada em local fresco com temperatura constante, irá aumentar a validade da munição em muitos anos, até décadas. Outra coisa que a pólvora não suporta são grandes variações de temperatura, tal como calor pela manhã e frio à noite, isso causa deterioração química, deixando um cheiro de amônia.
ΜΟΛΩΝ ΛΑΒΕ - Venha e leve!!!

Imagem

Luiz Patriota
Mensagens: 54
Registrado em: 20 Fev 2019, 23:54

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Luiz Patriota »

Miller Bond escreveu:Estou escolhendo uma arma para eu portar em trilhas e cachoeiras, quero uma arma com boa precisão até uns 20metros, estou em dúvida entre a Tauros PT58 HC plus e a Imbel MD1 sem ADC.
Minha primeira opção é a imbel MD1, não gostei da folga que fica no gatilho quando está em ação simples a PT58.
Qual arma vc levaria para uma trilha no mato?
(Infelizmente não tenho dinheiro para uma Glock)
Arma que eu levaria para o Mato seria um revolver 38 inox.
RT 88, RT 817 por exemplo.

Paulo Martins
Mensagens: 73
Registrado em: 15 Jul 2019, 11:36
Localização: BH - MG / 4RM

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Paulo Martins »

Luiz Patriota escreveu:
Miller Bond escreveu:Estou escolhendo uma arma para eu portar em trilhas e cachoeiras, quero uma arma com boa precisão até uns 20metros, estou em dúvida entre a Tauros PT58 HC plus e a Imbel MD1 sem ADC.
Minha primeira opção é a imbel MD1, não gostei da folga que fica no gatilho quando está em ação simples a PT58.
Qual arma vc levaria para uma trilha no mato?
(Infelizmente não tenho dinheiro para uma Glock)
Arma que eu levaria para o Mato seria um revolver 38 inox.
RT 88, RT 817 por exemplo.
Eu optaria por revólver pequeno, mas se possível levaria 2 sendo um RT 817 ou 856 e uma md1.
Paulo Martins
IAT - 4RM / BH - MG

Miller Bond
Mensagens: 7
Registrado em: 16 Set 2019, 18:16

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Miller Bond »

Caros amigos, obrigado por compartilhar suas experiências comigo. Vou optar por levar um revólver 38 de 2" e a MD2, ambos oxidados. (O que acham?)
Cromado é muito bonito, dá mais imponência ao inimigos, porém seu brilho chama atenção. Eu penso o seguinte; em uma guerra a última coisa que um soldado quer, é ser visto pelo inimigo.
A nitretação aqui em MG está em média R$800 uma 938 Tauros.

Rock shooter obrigado pela dica sobre a munição, eu realmente não sabia, vou tomar mais cautela.

Avatar do usuário
Hallex
Mensagens: 10
Registrado em: 05 Ago 2017, 15:45

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Hallex »

Interessante a questão, pois depende da situação. Por exemplo, para o caso de encontro com animais tipo Javali, que podem eventualmente atacar, no caso de estar ferido ou encurralado, deveria ser uma arma de calibre um pouco melhor, tipo um revolver .357. Para defesa de situações tipo outros humanos (assaltos, etc), utilizaria uma Imbel, se puder, uma 9mm (melhor controle, velocidade, capacidade e quantidade de munição), sem ADC (sem necessidade, não faz parte do projeto original, e um componente a mais para dar problema).

Não utilizaria nada de cano curto, pois são para curtas distâncias, ou o chamado "close combat", o que no mato normalmente não é a rotina.

Um abraço,

Hallex
Hallex.'.

Luiz Patriota
Mensagens: 54
Registrado em: 20 Fev 2019, 23:54

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Luiz Patriota »

Hallex escreveu:Interessante a questão, pois depende da situação. Por exemplo, para o caso de encontro com animais tipo Javali, que podem eventualmente atacar, no caso de estar ferido ou encurralado, deveria ser uma arma de calibre um pouco melhor, tipo um revolver .357. Para defesa de situações tipo outros humanos (assaltos, etc), utilizaria uma Imbel, se puder, uma 9mm (melhor controle, velocidade, capacidade e quantidade de munição), sem ADC (sem necessidade, não faz parte do projeto original, e um componente a mais para dar problema).

Não utilizaria nada de cano curto, pois são para curtas distâncias, ou o chamado "close combat", o que no mato normalmente não é a rotina.

Um abraço,

Hallex
ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental. Quanto a ser mais uma coisa para quebrar, a arma está cheia delas, esse argumento é meio sem sentido. Se a arma é comprovadamente perfeita e está bem mantida a probabilidade de alguma coisa quebrar é a mesma que em qualquer outra arma.

Avatar do usuário
Rock Shooter
Mensagens: 259
Registrado em: 07 Out 2013, 09:01
Localização: São Paulo

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Rock Shooter »

Luiz Patriota escreveu: ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental. Quanto a ser mais uma coisa para quebrar, a arma está cheia delas, esse argumento é meio sem sentido. Se a arma é comprovadamente perfeita e está bem mantida a probabilidade de alguma coisa quebrar é a mesma que em qualquer outra arma.
"ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental". O melhor mecanismo para desarmar um cão é o "decocker" (como na Taurus/Bersa), que efetivamente desarma o cão e a mola real.
"Quanto a ser mais uma coisa para quebrar, a arma está cheia delas". Não numa 1911, ela é uma das pistolas com mecanismos mais simples (ao lado da Glock), portanto possui poucas coisas que quebram, por isso que o projeto 1911 ainda é fabricado, por ser simples e funcional, não por ser o melhor projeto.
[i]"Se a arma é comprovadamente perfeita"[/i]. Sinto muito, mas não existe arma perfeita, existe aquela que falha menos.
"e está bem mantida". Mesmo fazendo a manutenção preventiva da arma com regularidade, não impede que defeitos ocorram.
"a probabilidade de alguma coisa quebrar é a mesma que em qualquer outra arma". Não necessariamente, a probabilidade das armas quebrarem são diferentes, pois são projetos mecânicos diferentes (assim como acontece com os carros).
Variam os tipos de materiais (tipos de aço ou de polímero), os sistemas mecânicos (simples vs complexos), os fabricantes (controle de qualidade)... enfim, são vários os fatores que levam uma arma a quebrar antes das outras, isso ocorre até mesmo dentro de um mesmo fabricante, imagine então entre fabricantes diferentes.

Quanto ao ADC... O problema é que este é um recurso mecanicamente estético, pois a mola real continua armada, porém com o cão visivelmente desarmado. Isso cria um efeito psicológico em quem porta a arma, pois ele crê que a arma esteja segura, porém se a alavanca do ADC for "triscada" por qualquer coisa, ela rearma o cão, e a arma fica em condição zero sem ele saber. Isso cria a necessidade de se possuir um coldre que proteja a alavanca do ADC, dos dois lados da arma.
Também existe o efeito psicológico nos outros operadores, que estranham o cão armado e imaginam uma situação de risco iminente, com o ADC acionado os outros operadores imaginam que está tudo bem e deixam de importunar aquele que porta uma 1911.
Outro problema... mecanicamente o ADC é muito complexo e possui um mecanismo bem ajustado, e quando ele perde esse ajuste, ele para de funcionar (trava tudo), e isso independe de limpeza, geralmente parando de funcionar sem qualquer aviso (defeito) prévio. E isso independe de manutenção, pois existem relatos de armas que vieram da Imbel com este defeito... armas novas de fabrica que não funcionavam!!

Mecanismos complexos e propensos a falhas não são desejáveis em armas de defesa, isso não é tolerado nem em armas de prática esportiva, menos ainda em algo que pode definir a sua vida ou morte!!

A 1911 foi projetada (a mais de 100 anos) para ser portada com o cão armado e travado, ou a câmara vazia e o cão desarmado. Se alguém quiser criar algum mecanismo para "melhorar" a segurança da 1911, deve criar uma solução que não crie outro problema!!

Pense comigo:
O ADC foi criado pelos americanos... Porque será que eles não o utilizam??
A Imbel exporta suar armas para os EUA... Porque será que não exportam com o ADC??

Eu tenho uma Imbel TC-MD6 .40", com ADC.... tenho o porte para ela, mas só a utilizo pra atirar no clube e como arma de cabeceira... pois o meu ADC já me decepcionou duas vezes!!
Assim que possível vou remover o ADC da minha Imbel.
ΜΟΛΩΝ ΛΑΒΕ - Venha e leve!!!

Imagem

Luiz Patriota
Mensagens: 54
Registrado em: 20 Fev 2019, 23:54

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Luiz Patriota »

Rock Shooter escreveu:
Luiz Patriota escreveu: ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental. Quanto a ser mais uma coisa para quebrar, a arma está cheia delas, esse argumento é meio sem sentido. Se a arma é comprovadamente perfeita e está bem mantida a probabilidade de alguma coisa quebrar é a mesma que em qualquer outra arma.
"ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental". O melhor mecanismo para desarmar um cão é o "decocker" (como na Taurus/Bersa), que efetivamente desarma o cão e a mola real.
"Quanto a ser mais uma coisa para quebrar, a arma está cheia delas". Não numa 1911, ela é uma das pistolas com mecanismos mais simples (ao lado da Glock), portanto possui poucas coisas que quebram, por isso que o projeto 1911 ainda é fabricado, por ser simples e funcional, não por ser o melhor projeto.
[i]"Se a arma é comprovadamente perfeita"[/i]. Sinto muito, mas não existe arma perfeita, existe aquela que falha menos.
"e está bem mantida". Mesmo fazendo a manutenção preventiva da arma com regularidade, não impede que defeitos ocorram.
"a probabilidade de alguma coisa quebrar é a mesma que em qualquer outra arma". Não necessariamente, a probabilidade das armas quebrarem são diferentes, pois são projetos mecânicos diferentes (assim como acontece com os carros).
Variam os tipos de materiais (tipos de aço ou de polímero), os sistemas mecânicos (simples vs complexos), os fabricantes (controle de qualidade)... enfim, são vários os fatores que levam uma arma a quebrar antes das outras, isso ocorre até mesmo dentro de um mesmo fabricante, imagine então entre fabricantes diferentes.

Quanto ao ADC... O problema é que este é um recurso mecanicamente estético, pois a mola real continua armada, porém com o cão visivelmente desarmado. Isso cria um efeito psicológico em quem porta a arma, pois ele crê que a arma esteja segura, porém se a alavanca do ADC for "triscada" por qualquer coisa, ela rearma o cão, e a arma fica em condição zero sem ele saber. Isso cria a necessidade de se possuir um coldre que proteja a alavanca do ADC, dos dois lados da arma.
Também existe o efeito psicológico nos outros operadores, que estranham o cão armado e imaginam uma situação de risco iminente, com o ADC acionado os outros operadores imaginam que está tudo bem e deixam de importunar aquele que porta uma 1911.
Outro problema... mecanicamente o ADC é muito complexo e possui um mecanismo bem ajustado, e quando ele perde esse ajuste, ele para de funcionar (trava tudo), e isso independe de limpeza, geralmente parando de funcionar sem qualquer aviso (defeito) prévio. E isso independe de manutenção, pois existem relatos de armas que vieram da Imbel com este defeito... armas novas de fabrica que não funcionavam!!

Mecanismos complexos e propensos a falhas não são desejáveis em armas de defesa, isso não é tolerado nem em armas de prática esportiva, menos ainda em algo que pode definir a sua vida ou morte!!

A 1911 foi projetada (a mais de 100 anos) para ser portada com o cão armado e travado, ou a câmara vazia e o cão desarmado. Se alguém quiser criar algum mecanismo para "melhorar" a segurança da 1911, deve criar uma solução que não crie outro problema!!

Pense comigo:
O ADC foi criado pelos americanos... Porque será que eles não o utilizam??
A Imbel exporta suar armas para os EUA... Porque será que não exportam com o ADC??

Eu tenho uma Imbel TC-MD6 .40", com ADC.... tenho o porte para ela, mas só a utilizo pra atirar no clube e como arma de cabeceira... pois o meu ADC já me decepcionou duas vezes!!
Assim que possível vou remover o ADC da minha Imbel.
Amigo só coloquei que:
"ADC é um recurso muito importante para desarmar o cão sem risco de disparo acidental" e que quebrar, qualquer coisa quebra, Imbel com ADC funcionando plenamente temos milhares por ai, mas assim como os aviões, só ficam notórios os que falham...rrsrsrs. Enfim, se preferes usar a tua arma em condição 1 é uma decisão sua.

Siqueira
Mensagens: 5
Registrado em: 08 Out 2019, 08:44

Re: Imbel MD1 sem ADC pros e contras

Mensagem por Siqueira »

Comprei a Imbel sem ADC. Mas não possuíam à pronta entrega e me entregaram com ADC. Acostumei e gosto do sistema. Nada a reclamar. Além das armas já mencionadas por vc, procure se informar sobre o RT 856. É uma boa opção.
"Cães, cães, malditos cães de guera!"

Miller Bond
Mensagens: 7
Registrado em: 16 Set 2019, 18:16

CAC pode comprar arma direto da indústria?

Mensagem por Miller Bond »

Já tenho o CR como atirador, meu ranking e nível I eu não queria gastar com despachantes, e não entendo.

1° Preciso preencher a autorização para aquisição de arma de fogo.
2° Declaração de modalidade e prova (consigo no clube)
3° Declaração de Ranking. Nível I pode ou não podem comprar arma direto do fabricante?
4°Comprovante de pagamento da taxa de aquisição de produto controlado,.
Monta o processo e protocola no SFPC/Gu de vinculação;
O SFPC/Gu recebe o processo e realiza a primeira verificação, se estiver tudo correto encaminha para o SFPC/5 para análise e autorização;

O SFPC/5 recebe o processo, analisa e despacha em: DEFERIDO (com o nº da autorização) ou INDEFERIDO (sem o nº da autorização);

O SFPC/5 envia somente a autorização para os SFPC/Gu (DEFERIDO ou INDEFERIDO);

O SFPC/Gu recebe a respectiva autorização e envia para o interessado (CAC);

O CAC recebe a autorização (DEFERIDA) e envia para a Indústria.


Dúvidas : Meu CR e Ranking é nível I, consigo comprar arma direto da indústria?
Caso consiga, essa declaração de modalidade cada clube tem seus requisitos ou existe um padrão?
Preciso de mais algum documento fornecido pelo clube para compra minha arma na indústria e fazer o apostilamento?

Responder