NOVA PORTARIA DOS CACs

ROBERTO SOUZA
Mensagens: 4
Registrado em: 28 Jan 2015, 16:25

NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por ROBERTO SOUZA »

Caros colegas, o art. 85 da portaria 01 classificou os atiradores em níveis, Iniciante, nível I, II e III, porém, o art. 93 estabelece a quantidade de armas, que cada nível poder ter estabelecendo quantitativo apenas do nível I até o III nada falando sobre o INICIANTE, que é o meu caso, afinal quantas armas posso ter? Outra situação e com relação ao art. 100 inciso II “C” que estabelece até três quilos de pólvora para o atirador nível I, mas o art. 102 veda o aquisição de maquinas de recarga, como fica isso?

CSEBRZ
Mensagens: 23
Registrado em: 29 Jan 2015, 20:16

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por CSEBRZ »

tb tenho a mesma dúvida...quantas armas um iniciante vai poder comprar...

alvorada5
Mensagens: 5
Registrado em: 30 Jan 2015, 11:05

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por alvorada5 »

Estive na SFPC da minha região e me informaram que iniciante só pode comprar munição. Qualquer arma, só a partir do nível I.

Avatar do usuário
Vitinho
Mensagens: 79
Registrado em: 01 Jan 2015, 00:29
Localização: Itaipava - RJ

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por Vitinho »

Sendo assim vale sabermos qual é o critério para um CAC passar de um nível para o outro.... Tempo, prática, vontade da RM ????

Avatar do usuário
Roberto
Mensagens: 141
Registrado em: 30 Abr 2014, 21:44
Localização: Brasilia

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por Roberto »

alvorada5 escreveu:Estive na SFPC da minha região e me informaram que iniciante só pode comprar munição. Qualquer arma, só a partir do nível I.

kkk comprar munição para colocar onde ?
Um tirano só consegue impor sua tirania a quem não pode se defender.

1* Rgt. Carabinieri "Tuscania" F.Op.Spec.
"Se il destino è contro di NOI, peggio per lui"
Somalia, IBIS/UNOSOM (U.N. Operation in Somalia)
Bosnia, IFOR (Imp. Force)

Avatar do usuário
rogeriohara
Mensagens: 168
Registrado em: 24 Abr 2014, 09:31
Localização: São Paulo - SP

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por rogeriohara »

Roberto escreveu:
alvorada5 escreveu:Estive na SFPC da minha região e me informaram que iniciante só pode comprar munição. Qualquer arma, só a partir do nível I.

kkk comprar munição para colocar onde ?
Ora......usemos a imaginação neh gente.....vamos comprar uma morsa de bancada....prendemos a munição la e com auxilio de um prego batemos na espoleta.......neh??? :lol: :lol: :lol:
Com leis ruins e funcionários bons ainda é possível governar.
Mas com funcionários ruins as melhores leis não servem para nada.

Avatar do usuário
Vitinho
Mensagens: 79
Registrado em: 01 Jan 2015, 00:29
Localização: Itaipava - RJ

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por Vitinho »

Boa Rogério.....

Mas uma pergunta que fica no ar.... que munição poderá um iniciante comprar??? Qual calibre se ele não tem nenhuma arma ou calibre apostilado???

rssss que bagunça essa porcaria desse país....

Avatar do usuário
Rock Shooter
Mensagens: 259
Registrado em: 07 Out 2013, 09:01
Localização: São Paulo

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por Rock Shooter »

Definitivamente, esta parte que trata o art. 85 (criando níveis) e os artigos subsequentes que limitam os direitos de cada nível, só veio pra atrapalhar o esporte e desestimular ao extremo o atleta, tanto a entrada de novos atletas quanto a permanência dos antigos.... até entendo e aceito os diversos níveis, porém a exigência ao "atirador nível I" de 8 competições por ano e a restrição do acesso à recarga vai barrar muita gente de competir de forma mais prazerosa e efetiva.

O esporte do tiro se faz pelo prazer do cheiro da pólvora queimada, o prazer de ouvir os estampidos seguidos dos "hits" nos metais, o prazer de perceber que você está ficando cada vez mais veloz e mais preciso, mas também existem outros prazeres que vem junto com o esporte, tal como o prazer de alterar a mecânica de sua arma para que a mesma seja cada vez melhor (customização) e o prazer de fazer a sua própria recarga buscando a relação peso do projétil vs carga de pólvora para alcançar o melhor resultado nas competições... e é neste último quesito que muitos atiradores, tanto novos quanto antigos serão afetados, pois tudo dependerá de participar de várias competições em um único ano, sendo fiscalizado e cobrado no momento da renovação do CR.

Sei que existem CAC´s experientes que vão pensar que tá certo mesmo e que quem quiser praticar o esporte deve se sujeitar ao que o exército determina, mas o problema que eu vejo é por exemplo o de pessoas como meu caso... Quero praticar o esporte por prazer que tenho por tudo que engloba o esporte, mas também para ter a devida perícia com minha arma e numa eventual situação de combate ter a máxima destreza e maximizar a possibilidade de minha sobrevivência... Quando o exército cria uma barreira para a prática do esporte de tiro ele apenas piora a situação que nós brasileiros enfrentamos em um país onde os cidadãos são obrigados a ser desarmados, com esta nova Colog todos seremos presas ainda mais fáceis.

O esporte do tiro não deveria ser um esporte elitizado, e sim o mais democrático possível e com estas novas exigências cada vez menos democrático será este tão nobre esporte. O nosso esporte é muito caro aqui no Brasil, mas vale observar que isso ocorre devido às determinações do Governo, onde a regra é "encarecer para dificultar" e "criminalizar para desestimular", observo que criminalizam o que nunca foi crime e também não o é em países civilizados.

Em minha opinião uma boa solução seria o "atirador nível I" ser menos cobrado quanto à frequência e possuir a recarga liberada.... deixo bem claro que é apenas a minha opinião!

Agora uma coisa que é fato (e não opinião minha), o exército deveria estimular a prática desportiva do tiro, estimular a recarga, ao invés dos oficiais fiscais irem aos campeonatos para policiar os atletas, deveriam estar lá também e principalmente para estimular os participantes ao esporte, deveriam eles próprios praticar o esporte dando o exemplo aos demais desportistas.

O exército com todos os últimos regulamentos apenas tem feito algo que está além de sua esfera de responsabilidades, legislar (e tal ato cabe ao congresso e não ao Exército), estão agindo ativamente de modo a acabar com o esporte através da desestimulação e agora dificultando ainda mais a prática desportiva, quando a sua responsabilidade deveria ser estimular o esporte. Na esfera regulamentar deveria apenas ditar limitações para os CAC´s e fazer o esporte seguro e democrático, para todos. Nos casos de crimes praticados por alguém mal intencionado, a Justiça é que deve se preocupar em fazer cumprir as leis e regulamentos e não o Exército, pois este tem agido de modo a ser um Grande Pai dos CAC´s, o que é absurdo, bastaria que eles apenas exercessem a sua função prevista em lei que é regular e fiscalizar, mas não a de dificultar e exterminar o esporte.

A última colocação que faço será muito estranha para a maioria dos colegas do fórum, pois vergonhosamente nós brasileiros não conhecemos tal sentimento e seu sentido.... Todos nós que praticamos o esporte do tiro temos que ter a convicção de que temos a LIBERDADE de exercer tal direito, não falo de um direito que foi dado por um parlamentar como alguém dá uma moeda a um mendigo e sim do direito natural que todos temos assim que nascemos, o de podermos nos defender (direito à legítima defesa) mas também o direito natural de fazer o que quiser, desde que não prejudique ninguém, sempre dentro de sua esfera de direito, sem invadir a de outra pessoa (e a nossa esfera de direito foi invadida e destruída)... em nosso país não temos a mínima noção do que seja liberdade, o brasileiro pensa que é livre aquele que não está preso, porém a palavra liberdade engloba muito mais que apenas isso, significa que também que ninguém pode te oprimir ou lhe proibir de fazer o que quiser, este conceito parece ofensivo e perigoso para os brasileiros pois nos últimos 30 anos passamos por um processo de engenharia social (fomos socializados, transformados em escravos sem correntes) de modo a temermos a liberdade e temermos ter que decidirmos por nós mesmos, precisamos que alguém decida o que é bom para nós, e pensamos que nossos políticos (e apenas eles) são os únicos que sabem o que é bom ou ruim para nós. Infelizmente hoje o exército que deveria defender a nossa liberdade é também o algoz que nos achaca e nos priva de nossas liberdades, nos escraviza.

Se deixarmos que este último regulamento se solidifique em nossas mentes depois nada poderemos fazer, o ideal é que o quanto antes nós e as nossas associações ataquem e eliminem este Colog fazendo com que o esporte seja o menos burocrático possível... e para quem teme que bandidos entrem em nossos clubes, caberá à Justiça julgar os atos desses eventuais mal elementos e não aos CAC´s ou o Exército.

.
ΜΟΛΩΝ ΛΑΒΕ - Venha e leve!!!

Imagem

José Soares
Mensagens: 64
Registrado em: 11 Jun 2014, 16:29

Re: NOVA PORTARIA DOS CACs

Mensagem por José Soares »

Muito sensato o vosso arrazoado, caro Rock Shooter.
No entanto( e olhe que não sou pessimista), não vislumbro perspectivas para a implantação de alteração de legislação positiva para o esporte de tiro, bem como como em outras inúmeras áreas de interesse realmente público ou nacional, pelo menos enquanto tivermos a continuidade da atual forma de se administrar o nosso país, independentemente de qual seja o partido, o atual, nem se comenta.
Este ano fiz meio de século de vida, um "menino" (passa muito rápido) e no decorrer de tal espaço de tempo, infelizmente, a realidade brasileira é inteiramente diversa do jargão "país do futuro".
Milhões, e até bilhões de reais são escancaradamente surrupiados dos cofres públicos, enquanto o hiper sacrificado povão brasileiro, e há um bom tempo, a própria classe média, não tem as suas concretas e verdadeiras necessidades nem de longe atendidas pelas administrações públicas.
Saúde, segurança, educação, economia, infraestrutura, e todo o resto, repito, em qualquer que seja o foco de atuação governamental, nas três esferas de governar, um colossal fracasso.
Em plena e vergonhosa crise atual vemos a Sra. Presidente da República sancionando o orçamento do ano de 2015 em que, acreditem, se triplicou a verba destinada ao fundo partidário, passou para quase 900 milhões de reais Enquanto isso milhões aguardam meses e até anos para uma simples consulta médica, pois não exitem verbas para a contratação de profissionais de saúde, entre outros. Sem comentários.
A classe política, meu Deus, um gigantesco e cristalino faz de conta, além de um interminável blá blá para decidirem o óbvio, passam anos a fio para alterarem uma única palavra em um texto de lei, isso quando tem uma remota possibilidade de trazer um elementar benefício à coletividade.
Verificamos nos últimos meses, anos, um câncer em propagação sem limite no que concerne à prática de corrupção pelos que de alguma forma tem algum vínculo com as administrações públicas brasileiras, do maior ao menor escalão.
Ano que vem, tudo de novo, novo ano eleitoral, nova farsa, existe realmente vontade política para resolver os reais problemas da nação? Agora imaginem os pleitos de outra monta.
O próprio PL 3.722/2012, já com quase três anos começou a tramitar do zero, ou seja, mais uma legislatura de vai e vem de conversas pré-eleitoreiras, "e assim caminha a humanidade...."
Segurança pública está entre as necessidade mais prementes que a nação urge, porque tanta engrenagem formal para atenderem aos pleitos da população? Simples, porque eles precisam desse "combustível" de farsa de legislar, e manter por mais quatro o cenário de "muito trabalho" e analisar com muito afinco os PLs que estão a tramitar.
Essa cristalina situação de crise de segurança pública no país, entre outras demandas sociais, é fato, não deveria sequer haver divergência política, o povo pode mudança pra ontem e o acolhimento das postulações dos eleitores, pelo menos o da maioria, deveria sr imediato, sem qualquer necessidade de excessivas formalidades legislativas e temporais.
Tiro esportivo, entre outros, de total desinteresse do Executivo, certamente ficará na UTI por alguns anos, sem qualquer previsão de seu destino para melhor.
Pergunta-se: o que melhorou na legislação brasileira para os praticantes desse tipo esportivo nos últimos anos?
Mantendo, na ínfima realidade, a essência positiva, mas pisando na estrada da realidade, espero que tal quadro se altere para que tenhamos um outro Brasil para nossos filhos, netos, e todas as futuras gerações.
Saudações a todos.

Responder